Voltar a todos os Eventos e Notícias
Notícias

Novas ceifeiras-debulhadoras de referência CR11 e CR10: o maior avanço da New Holland em termos de aumento de capacidade e redução de perdas numa geração


  • ​​O modelo CR10 junta-se ao CR11, apresentado na Agritechnica, no lançamento oficial da nova gama
  • CR10: 635 CV/depósito de grão de 16 000 litros; CR11: 775 CV/depósito de grão de 20 000 litros
  • Ambos os modelos incluem dois rotores de 600 mm e o novo sistema de limpeza Twin-Clean


A nova ceifeira-debulhadora de referência CR11 da New Holland, apresentada na Agritechnica 2023, foi acompanhada por um modelo CR10 no lançamento oficial do novo design da Nova Geração de equipamentos de colheita de 2024, com ambas as ceifeirasdebulhadoras — construídas no Centro de Excelência de Ceifeiras-debulhadoras da New Holland em Zedelgem, na Bélgica — a apresentarem uma tecnologia inovadora concebida para ajudar as maiores explorações agrícolas a maximizar a produção, minimizar as perdas e a reduzir o custo total da colheita.

A principal diferença entre os dois modelos está na potência e no tamanho do depósito de grão, para garantir que as novas ceifeiras-debulhadoras correspondem às necessidades de uma vasta gama de grandes explorações agrícolas. A CR11 possui um depósito de grão de 20 000 litros e um motor Cursor 16 de 15,9 litros da FPT que debita 775 CV. O CR10 possui um motor Cursor 13 de 12,9 litros da FPT que gera 635 CV e um depósito de grão com capacidade para 16 000 litros. Para além do aumento da potência e da capacidade de grão, as principais características que elevam estas ceifeirasdebulhadoras a um novo patamar em termos de produção, qualidade das amostras e minimização de perdas incluem dois rotores mais compridos e o novo sistema de limpeza Twin-Clean.

Maior capacidade desde a dianteira até à traseira
Na dianteira, estas novas ceifeiras-debulhadoras CR foram concebidas para processar maiores volumes de colheita. As larguras da barra de corte de 10,6–15,0 m estão disponíveis nos formatos de faca fixa, faca flexível, faca móvel e pente. Também estão disponíveis frentes de milho de 12–16 linhas e os comprimentos dos sem-fins de descarga podem ser especificados para corresponder a todas as larguras de frentes. Existem três opções de transmissão para satisfazer todos os requisitos das frentes — padrão com transmissão fixa, padrão com transmissão variável e um sistema variável para trabalhos pesados. Na transmissão variável, uma unidade de transmissão CVT na caixa de velocidades do motor permite que a velocidade da frente/alimentador varie em função das condições da cultura e do campo. A inversão do alimentador/frente é obtida através com um motor hidráulico na transmissão de velocidade fixa e com a transmissão CVT na transmissão de velocidade variável.

O elevador está equipado de série com regulação da parte frontal e inclinação lateral controladas remotamente a partir da cabina. A partir daqui, a colheita é enviada para o comprovado sistema Dynamic Feed Roll (Cilindro Alimentador Dinâmico ou DFR) da New Holland, que pode agora ser invertido — simultaneamente com o elevador e os rotores — em caso de bloqueio. O DFR acelera a colheita e divide-a em dois fluxos regulares para alimentar os dois rotores longitudinais de debulha e separação que se seguem. É possível esvaziar um grande compartimento de pedras em frente ao DFR manualmente ou, opcionalmente, de forma remota, através de ativação hidráulica a partir da cabina.

A New Holland foi a primeira a lançar uma ceifeira-debulhadora com dois rotores longitudinais no seu centro, sendo pioneira na tecnologia de debulha e separação Twin Rotor há quase 50 anos, desde 1975. O seu design evoluiu ao longo do tempo para garantir que satisfaz as mesmas exigências de produtividade, proteção do grão, retenção do grão e qualidade da palha. Nas novas CR10 e CR11, os dois rotores de 600 mm têm maior diâmetro e comprimento, proporcionando maior capacidade de circulação da colheita e de debulha e separação do grão. Cada rotor possui 40 réguas padrão, oito réguas HX e 12 réguas dentadas. As unidades HX combinam a altura das réguas dentadas com o perfil das unidades padrão, com um maior ângulo da parede lateral que ajuda a acelerar o fluxo de colheita na zona de transição da caixa do rotor escalonado, entre a zona de debulha e a zona de separação. O ângulo das palhetas pode ser controlado remotamente a partir da cabina, e o novo design das palhetas ajuda a ejetar a colheita se for necessário inverter os rotores. As novas caixas do rotor apresentam um design escalonado com uma caixa mais larga e palhetas mais altas na área de separação, de modo a permitir um maior movimento do tapete de colheita, uma melhor separação e uma maior eficiência energética. A área de contrabatedor é composta por dois conjuntos de três contrabatedores de debulha e grelhas de separação, e dois conjuntos de seis grelhas leves.

Sapata de limpeza TwinClean totalmente nova

A nova sapata de limpeza TwinClean incorpora várias características que visam aumentar a produtividade e minimizar a perda de grão. É composta por dois sistemas de cirandas em sequência, cada uma com as suas próprias cirandas superior e inferior e um sem-fim de grão limpo, e tem como base num grande recuperador de grãos com um passo de queda superior para a primeira ciranda superior. O fluxo de ar é fornecido por uma ventoinha de elevada potência da sapata de limpeza. Dois mecanismos automáticos de distribuição cruzada, um no recuperador de grãos e outro nas cirandas superiores, garantem uma carga homogénea das sapatas de limpeza em todas as condições. Dois conjuntos de sensores de pressão, um no recuperador de grãos e outro nas cirandas superiores, medem continuamente a carga da sapata de limpeza e detetam quaisquer anomalias na distribuição do material entre a esquerda e a direita. Um mecanismo de sacudimento lateral acrescenta um componente lateral ao movimento do recuperador de grãos e das cirandas, que uniformiza o material em toda a largura da sapata de limpeza. Como tal, a sapata de limpeza pode compensar a alimentação irregular e inclinações laterais até 28%. A área total da ciranda completa é de 8,76 m².

Depósitos de grão que maximizam a autonomia
O depósito de grão da CR11 tem uma capacidade de 20 000 litros, com uma taxa de descarga de 210 l/seg., enquanto o depósito da CR10 tem uma capacidade de 16 000 litros e uma taxa de descarga de 159 l/seg. O fecho do sem-fim transversal permite esvaziar completamente o sem-fim de descarga mesmo quando o depósito de grão ainda contém grãos. Na CR11, uma opção permite que a velocidade de descarga seja reduzida em 50% através do desacoplamento do sem-fim transversal dianteiro, ajudando a efetuar a descarga dos reboques. Todos os sem-fins de descarga possuem uma boca de descarga giratória para facilitar o enchimento uniforme e permitir que os tratores se mantenham no seu caminho.

Gestão de resíduos para corresponder a grandes larguras de corte, grandes volumes de palha

As ceifeiras-debulhadoras CR10 e CR11 podem ser equipadas com um picador padrão integrado ou com uma unidade de corte fino montada sobre o capô alto. Enquanto a primeira se destina a condições secas, a unidade montada sobre o capô alto destina-se a utilizadores que necessitem de processar grandes volumes de palha para um corte fino e distribuir o material por uma grande largura de corte.

O picador integrado de série possui 60 lâminas fixas que trabalham em conjunto com 52 contrafacas que funcionam a 3000 rpm para o corte ou a 800 rpm para a colocação do cordão de palha. Estão equipadas de série com regulação manual das contrafacas e, opcionalmente, com regulação hidráulica remota. Um rolo acionado ajuda a ejetar a palha durante a formação de cordões, ou nos impulsores do espalhador durante o corte. Os dois impulsores de 800 mm acionados hidraulicamente, cada um equipado com três pás, espalham o material cortado em larguras até 15 m. Um defletor oscilante por detrás dos espalhadores cria um efeito dinâmico de pulsação no espalhamento dos resíduos para garantir uma distribuição uniforme em toda a largura de corte.

A opção de picador sobre o capô alto inclui um batedor de 500 mm com duas filas de dentes e duas filas de lâminas, além de um reservatório não perfurado do batedor. Segue-se um picador de seis filas com 88 facas articuladas e 67 contrafacas. O picador pode funcionar a uma velocidade baixa (900 rpm) ou alta (3600 rpm), com uma posição neutra para um movimento livre quando é necessário efetuar uma manutenção. A seleção remota da velocidade do picador é opcional. O par de impulsores de 970 mm de diâmetro acionados hidraulicamente nesta unidade possui cinco pás cada, capazes de distribuir material até 18 m. Tal como na unidade de série, existe um defletor oscilante novamente instalado atrás dos espalhadores no picador de capô alto, para movimentar dinamicamente os resíduos em toda a largura de corte. A opção IntelliSpread utiliza radares para avaliar continuamente a largura total dos resíduos espalhados, ajustar automaticamente a velocidade dos espalhadores esquerdo e direito e assim garantir o espalhamento a toda a largura. Outras opções incluem a seleção remota da posição da porta do picador, das engrenagens do picador e das contrafacas. Opcionalmente, também pode dispor de um indicador de carga do picador, que fornece informações sobre o seu consumo de energia, permitindo avaliar a eficiência do picador em relação ao comprimento de corte, de modo a que o operador possa selecionar o equilíbrio ideal entre o consumo de energia, a qualidade do corte e a capacidade de produção.

Tecnologia e conforto para uma colheita mais fácil
A cabina das ceifeitas-debulhadoras CR10/CR11, que se encontra sob um novo estilo de tejadilho e dispõe de um tanque de lavagem das mãos de 25 litros com dispensador de sabão integrado localizado nos degraus de acesso, apresenta várias atualizações. A operação é facilitada pela incorporação de dois terminais de ecrã tátil IntelliView 12. O monitor principal na consola do lado direito permite a gestão e monitorização dos principais controlos da ceifeira-debulhadora e o monitor secundário no pilar A está configurado para mapeamento e guiamento. Ambas as ceifeiras-debulhadoras estão equipadas com três câmaras, que permitem ver a traseira, o depósito de grão e a boca do sem-fim de descarga, sendo opcional uma câmara de visão aérea de 360°, bem como uma câmara no engate do reboque. Qualquer um dos monitores pode ser configurado para apresentar vistas de câmaras externas. O operador pode agora controlar também totalmente mais funções remotamente a partir da cabina, incluindo a velocidade dos rotores, do picador e do sem-fim de descarga, a inversão do DFR e dos rotores e o engate/desengate total do picador de palha.

Na restante cabina renovada, as alterações incluem pedais de travão e pousa-pés com novo estilo, um volante de luxo e bancos em tecido ou pele premium, além de um novo controlo de ar condicionado multizona com condutas de ar ao nível do piso. Um novo rádio Bluetooth permite a operação do rádio e de um telemóvel através do painel de controlo do rádio no forro do tejadilho ou de um dos ecrãs táteis IntelliView 12. No exterior, os novos retrovisores proporcionam um ângulo de visão mais amplo, com a unidade do lado direito opcionalmente rebatível de forma elétrica, enquanto os degraus de acesso ao para-brisas facilitam a limpeza das janelas.

Um pacote de iluminação abrangente inclui quatro faróis LED (dois na dianteira e duas faixas na traseira), 13 luzes LED de trabalho montadas na cabina, duas luzes LED de restolho, uma luz LED do sem-fim de descarga, uma luz LED do depósito de grão, oito luzes LED de trabalho traseiras, duas luzes LED laterais, três faixas LED da proteção inferior, duas faixas LED de serviço do motor e uma faixa LED da ciranda. É possível integrar luzes opcionais de “longa distância” de 36 000 lúmenes com alcance de 500 m sob cada um dos spoilers da cabina. Existe também uma luz de trabalho portátil adicional.

Precisão adaptada ao desempenho
As novas ceifeiras-debulhadoras CR10 e CR11 estão equipadas com pacotes de tecnologia de agricultura de precisão concebidos para satisfazer as necessidades das maiores explorações agrícolas. Um pacote Core PLM Intelligence satisfaz os requisitos mais frequentemente especificados, como o IntelliSense, onde ocorrem ajustes automáticos de acordo com a estratégia de colheita escolhida pelo operador, quer seja perda limitada, melhor qualidade do grão, capacidade máxima ou produtividade fixa. A segunda opção é um conjunto Advanced PLM Intelligence, destinado a quem tem os requisitos mais avançados.

Os pacotes de sinais de correção para a direção automatizada IntelliSteer e outras funções, como o mapeamento da produtividade e da humidade, estão disponíveis de fábrica em dois níveis de precisão com três opções de fornecimento. Através do software IntelliField opcional, sem quaisquer custos, os proprietários e operadores recebem instantaneamente dados do campo e podem partilhar limites, linhas de guiamento e dados de cobertura quando várias máquinas estão a operar no mesmo campo.

Um sistema de tração para as condições mais exigentes
As ceifeiras-debulhadoras CR10 e CR11 possuem uma transmissão hidrostática de duas velocidades e um bloqueio semiautomático do diferencial TerraLock, que é engatado manualmente e desengatado automaticamente, dependendo do ângulo de viragem e da velocidade de avanço. Os modelos equipados com SmartTrax estão disponíveis com três opções de largura de cinta de rastos de 660 mm, 810 mm e 910 mm, com amortecimento de borracha ou hidráulico. As respetivas larguras totais da máquina são de 3,49 m, 3,79 m e 3,99 m. Para determinados mercados, está disponível uma configuração de viga larga em combinação com rastos de 910 mm, com uma largura total da máquina de 4,8 m.

Nos casos em que é escolhida uma máquina com rodas, a New Holland e a Michelin desenvolveram em conjunto pneus com 900 mm de largura e 2,32 m de diâmetro (VF 900/65 R46), de modo a minimizar a compactação e maximizar a tração. As opções de pneus alternativos são os pneus VF 800/70 R46 (2,32 m de diâmetro) e VF900/60 R38 (2,05 m de diâmetro). Os pneus traseiros das ceifeiras-debulhadoras de rodas e de rastos estão disponíveis em larguras de 500 a 750 mm. Outras opções incluem pneus duplos 710/70 R42 ou 800/70 R38, e pneus LSW até 1400 mm de largura.

A nova CR10 possui um motor Cursor 13 de 12,9 litros de seis cilindros com turbocompressor da FTP alimentado por um depósito de combustível de 1300 litros, enquanto a CR11 possui um motor Cursor 16 de 15,9 litros da FPT, também de seis cilindros com turbocompressor, com uma capacidade de combustível de 1500 litros. As respetivas potências máximas são 635 CV e 775 CV. Um novo design da disposição coloca os motores longitudinalmente na mesma direção e no mesmo ângulo dos rotores, para uma eficiência máxima, sendo o ar de arrefecimento extraído por detrás do depósito de grão. A ceifeira-debulhadora CR10 possui duas ventoinhas de arrefecimento e a CR11 possui três. Todas as instalações do coletor de escape/turbo/pós-tratamento são totalmente isoladas para reduzir a temperatura da superfície dos componentes quentes. A velocidade do motor de colheita é de 1900 rpm, produzindo um ruído moderado e minimizando o consumo de combustível. No modo de estrada, a velocidade do motor é de 1300 rpm, para uma velocidade de deslocação máxima com um consumo de combustível e ruído mínimos.

Todos os acionamentos são realizados através de uma transmissão ligada diretamente à traseira do motor, minimizando a perda de potência. O filtro de óleo do motor está situado no lado direito do motor para facilitar o acesso, enquanto o filtro de ar está convenientemente localizado no lado esquerdo do chassis da ceifeira-debulhadora e pode ser retirado do piso sem ser necessário subir à plataforma do motor.

Um compressor de ar para motor opcional inclui um compressor monocilíndrico montado no motor e um reservatório com uma mangueira em espiral de 10 m e uma pistola de ar armazenada junto à caixa de ferramentas. Dispõe de cinco tomadas, localizadas na entrada da porta da cabina, por baixo da plataforma do operador, junto ao compartimento da bateria, na área do motor e na escada traseira. Os acessórios do motor incluem escovas instaladas em cada filtro de pó rotativo, proporcionando uma limpeza contínua em poeiras densas produzidas por culturas como o milho e os girassóis.

No novíssimo sistema hidráulico das ceifeiras-debulhadoras CR10 e CR11, o encaminhamento das mangueiras hidráulicas foi redesenhado em vias de encaminhamento específicas para melhorar o acesso e a simplicidade. Todos os acionamentos hidráulicos da colheita são desengatados mecanicamente através de uma embraiagem na caixa de velocidades principal do motor no arranque ou durante a deslocação em estrada, reduzindo a resistência e poupando até 20 CV/15 kW de potência. A utilização de bombas com sensor de carga reduz ainda mais as necessidades de potência hidráulica e melhora a eficiência. A filtragem do óleo também foi melhorada em todo o sistema hidráulico a fim de aumentar a fiabilidade e reduzir a manutenção.



Voltar a todos os Eventos e Notícias